segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Génesis 3: 35-55 - Jacob irrita-se solenemente


Mas Jacob, que podia ser muito boa pessoa mas tinha os seus limites, fartou-se e disse a Labão:

- Agora CHEGA! Mas que merda é esta?! Chegas aqui, apalpas os meus móveis, os meus empregados, o meu gado, apalpas-me durante 20 minutos, e depois deste tempo todo diz-me lá o que procuras, carago! Irra!

Jacob respirou fundo, contou até 10 e meio, limpou os lábios de perdigotos, e continuou de maneira mais cavalheiresca:

- Quer dizer, trabalhei 20 anos para ti. Desses 20, 14 catorze foram para pagar as tuas filhas e os outros 6 pelas tuas ovelhas (1). As tuas ovelhas nunca abortaram nem comi os teus carneiros como é costume. Mas mesmo assim mudaste-me o salário 10 vezes, pá! Não recebesse eu o subsídio do meu pai e estava hoje a pedir nas ruas! Ora ele não te repreendeu ontem à noite? Repreendeu sim, que bem ouvi o ralhete.

Labão, que tudo tinha escutado com ouvidos de ver, puxou de uma guitarra e começou a responder ao som de uma balada:

- Estas filhas são minhas filhas... e estes filhooooos são meus filhooooos...... e este rebanhoooooo é meu rebanhooooo... - Labão pousou a guitarra ao aperceber-se da figura ridícula que estava a fazer - e estes móveis são meus móveis e estas...
- JÁ PERCEBI! - Jacob chorava com os nervos.
- Pois, sim, o que quero dizer é que... epá... venha de lá aquele abraço!

Mas Jacob, em vez de um abraço, agarrou numa pedra, assustando Labão. Mas Jacob não a atirou mas erigiu-a em coluna e disse a todos:

- Apanhai pedras.

E todos apanharam pedras e todos amontoaram pedras. No final comeram em cima das pedras e por aqui se vê que basta um monte de calhaus para pacificar a humanidade.

Labão chamou aquele lugar Jegar-Saaduta. Mas Jacob chamou-o de Galeede. E porque Jacob estava ainda em cima das pedras quando anunciou a sua ideia para o nome e Labão estava no sopé sem hipóteses de se proteger, aceitou a sugestão e disse:

- Façamos aliança e que este monte de pedras seja testemunha (2). Se tomares outras mulheres ou bateres mais do que é necessário nas minhas filhas, lembra-te que o MONTE DE PEDRAS é testemunha.

E Jacob jurou.

E Jacob sacrificou um animal e convidou os irmãos para comer pão (3) e eles comeram pão e dormiram em cima das pedras.

De manhãzinha, Labão levantou-se e voltou para casa, com duas pedras no bolso.


(1) - Por aqui se vê que cada filha custava, na altura, 7 anos de trabalho e um rebanho 6. Depois com a inflação as ovelhas passaram a valer mais, principalmente quando descobriram que eram óptimas donas de casa quando treinadas para tal.

(2) - Hoje em dia este tipo de testemunhas não é aceite em tribunal.

(3) - Jacob era muito boa pessoa, como foi dito, mas também era egoísta. Os irmãos comeram pão enquanto ele saboreou uma costeleta.

5 comentários:

dcc disse...

Um monte de pedras é uma testemunha para toda a vida!

camponesa pragmática disse...

Está aqui este monte de pedras que não me deixa mentir!

dcc disse...

lolololol

Dr. Scepticu disse...

Pronto, já começaram a gozar.

camponesa pragmática disse...

Quem? Onde?
Mata, mata!