segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Génesis 19: 18-38 - Lot e as filhas


E disse o SENHOR a Lot:
– Vês aquela pequena cidade ali ao fundo? Zoa já para lá enquanto podes. Leva a tua mulher e as tuas filhas e não olhem para trás.
E Lot zoou para lá com a família e por isso se chamou a cidade Zoar.

Mas a mulher de Lot, alcoviteira de muita escola, não resistiu e olhou para trás e viu Deus e o Diabo, escandalosamente alegres, nus e aos pulos, a fazerem xixi de enxofre sobre Sodoma.
– Olaré! – Exclamou o SENHOR quando se percebeu observado, apressando-se a transformá-la num cone de sal, para que não espalhasse notícia da sua nudez e da acidez destruidora dos seus fluídos, nem da sua amizade com o anjo negro, sendo esta a origem do gelado 'Olá', com muitos séculos de evolução fonética, sumiço e troca de algumas letras.

Lot, demasiado velho para dizer das filhas que eram suas irmãs e não as podendo usar como moeda de troca, teve medo de entrar em Zoar e subiu antes a um monte, onde encontrou uma caverna e habitou com as filhas. Estas, com medo de morrerem virgens e sem descendência, duas noites o embebedaram e o violaram, concebendo dele. A mais velha deu à luz Moabe, pai dos moabitas, e a mais nova deu à luz Ben-Ami, o pai dos filhos de Amom.


Lot e as filhas na pintura (um hit)


Gustave Courbet


Lucas van Leyden


Jan Muller



Lucas Cranach the Elder



Marc Chagall



Jan Massys



Hendrik Goltzius



Orazio Gentileschio



Francesco Furini



Andrea Vaccaro



Albrecht Altdorfer


7 comentários:

carlopod disse...

que delícia...
muito se inspiram os artistas em poucas-vergonhas!

Dr. Scepticu disse...

São uns porcos. Não havia net e safavam-se assim.

camponesa pragmática disse...

O quadro de Orazio Gentileschio é o menos óbvio. A posição das pernas e dos pés de Lot transmite frio e desconforto. Toda a cena é agreste. Ok, ok: ele não resistiu ao ombro nem à pernoca de uma das filhas. Mas de resto é um quadro bastante sóbrio. E bem pintado, interessate, demorado.

A seguir ao do Orazio Gentileschio gosto do de Hendrik Goltzius por Lot estar todo assanhado e quase parecer vivo. E está rosadinho da pinga. Não me parece nada inconsciente :>

Vou parar. Eram só mesmo estes dois quadros que são muito fixes. O primeiro parece-me o mais devoto de todos, o segundo o mais pagão. Em frente a qualquer um deles eu ficaria pelo menos meia-hora feliz da vida.

carlopod disse...

o do Orazio é o menos óbvio?! o que eu vejo ali é a uma das manas a dizer para a outra "vai ver se eu estou ali" enquanto o pai já assume uma posição fetal para regressar ao útero (...no caso, da filha...).
freud escreveria um gargântuo calhamaço só sobre este quadro.

dcc disse...

Digo de mim para mim (e já agora para vocês),o que tem uma das moçoilas do Chagall na manita?

camponesa pragmática disse...

carlos: sempre achei que o quadro era depois, mas talvez tenhas razão, a de cá ainda está muito vestida.

duarte: és um maldoso! é a garrafa do vinho. mas acho que chagall nos quis a todos a olhar pelo menos duas vezes O_o

Anónimo disse...

Essa história está muito mal contada. Primeiro, me expliquem como um velho, completamente embriagado, consegue ter ereção suficiente para penetrar e ejacular dentro da vagina das filhas?Para mim, Lot, velho safado, que já tinha oferecido as duas para uma multidão de homens em Sodoma, deve ter seduzido (ou estuprado)as filhas.