segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Génesis 28 - Jacó zela pelos seus interesses

- Psst, ó Jacó! Vinde cá. - Chamou Isak. ("Isak" - português moderno para Isaque ou Isaac)
Pois que Jacó foi.
- Não comas nenhuma das filhas de Canaã, chaval. Levanta-te e vai à casa de Betuel, o cota da tua mãe, e toma de lá uma mulher das filhas de Labão, o mano da tua mãe.
Jacó ia tirando apontamentos para o seu Moleskine, não fosse a memória pregar-lhe partida.
- 'Pera lá ó puto, não te vás já embora. Que Deus-Todo-Poderoso te abençoe, e te faça frutificar para que sejas uma multidão de povos.
- Papá, mas eu não quero ser esquizó como o Fernando Pessoa, esse é que era uma data de gente, não era?
- Fernando Pessoa ainda não nasceu, chaval.
Esaú estava à coca, a ouvir tudo. Percebeu que a Isak não lhe cheirava bem o mulherio de Canaã, e não querendo desfazer, foi-se a Ismael arranjar mulheres.
Mais tarde, Jacó foi a Harã. Como era noite feita, resolveu chonar, e para servir de almofada, arranjou uma pedra. Além de dormir sobre a pedra, também apanhou uma grande pedrada, porque teve nessa noite um sonho em que uma escada subia desde o chão até ao céu e lhe tocava, e que os anjinhos desciam e subiam por ela, de saiote levantado e arejado. Sentiu-se húmido, mas logo logo desviou o pensamento para gajas mamalhudas. Regressou ao sonho: o SENHOR estava em cima das escadas, cofiando o buço, e gritou:
- Eu sou o SENHOR Deus de Abraaaão teu pai, e o Deus de Isak! Esta terra, em que estás deitado, darei a ti e à tua descendência. Parabéns puto!
Jacó acordou estremunhado e maldisposto e disse:
- Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus, e esta é a porta dos céus!
Pegou na pedra onde encostara a cabecinha e a pôs por coluna, e derramou Azeite Galo (a cantar desde há muito mais tempo do que aquilo que vem no anúncio, que é para não assustar as pessoas) em cima dela. E àquela cidade chamou Betel, que anteriormente se chamava Luz.
Então Jacó fez um voto, o chamado voto de conveniência:
- Se Deus for comigo, me guardar na viagem, me der pão, empadas, folhados e outros salgados, alguns doces conventuais sem exagero nos ovos por causa do colesterol mau, boa pinga, e vestidos mais bonitos que os do Esaú para usar, então 'tá bem, Deus será o meu SENHOR. E esta pedra a casa de Deus, e de tudo quanto me der, ok, pronto, eu lhe darei o dízimo.
Deus, nas suas alturas sussurrou "interesseiro ganancioso e forreta do caralho" e tossiu para disfarçar.

5 comentários:

carlopod disse...

o SENHOR não pragueja!
"forreta do caralho" é uma espécie de praguejar!!!

carlopod disse...

pá, o Jakó é mesmo kool.
enquanto o brother dava os copos e os morfos para lhe darem a bênção, o chaval pede os copos e morfos para ele e só em troca é que se entrega a Deus.

Dr. Scepticu disse...

Era da geração rasca, está visto. A juventude daqueles tempos... aposto que andava com aquelas calças que têm a cintura nos joelhos...

dcc disse...

carlopod!O SENHOR pode e faz TUDO! :P

camponesa pragmática disse...

Tens é inveja, dcc, querias ser como o SENHOR, estar em todo o lado e fazer tudo, com o dedito espetado.
>B)